Potencial do petróleo de Silves, no Amazonas, é avaliado pela Petrobras

Publicado em 05 de maio de 2015 em NOTÍCIAS, Últimas Notícias | 0 comentários

MANAUS - A Petrobras trabalha na avaliação dos reservatórios de petróleo e gás encontrados, no município de Silves (distante 200 quilômetros de Manaus). Segundo a empresa, o atual estágio do processo exploratório ainda não permite projeções relacionadas ao volume da jazida e à viabilidade econômica ofertada pela área. Mas enfatiza que pretende verificar a extensão da descoberta e conhecer melhor as características do reservatório, e consequentemente, logo após, coletar maiores informações.

No último dia 16 de abril, a Companhia anunciou a descoberta de petróleo e gás, após sete meses de trabalho e a realização de três perfurações localizadas na Bacia do Amazonas, no município de Silves, em parceria com a empresa Petrogal Brasil. Nesse trabalho de prospecção, constatou a presença de óleo leve e gás em reservatórios arenosos, que se distribuem no intervalo entre as profundidades de 1.350 e 1.900 metros. Segundo a concessionária, o óleo leve apresenta maior valor comercial por ser menos viscoso e por necessitar de menor tecnologia para o refino. O processo de extração e pesquisas continua.

A descoberta ocorreu durante a perfuração do poço nomeado pela ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis) como 1-BRSA-1293-AM, informalmente conhecido como Jusante do Anebá. O poço foi perfurado até a profundidade final de 2.040 metros.

De acordo com a assessoria de comunicação da Petrobras, que é detentora de 60% da concessão da exploração dos blocos, o petróleo encontrado na região amazônica apresenta características especiais e normalmente é classificado pela indústria petroleira como um líquido mais leve. Segundo a empresa, isto acontece devido as características geológicas apresentadas pelas bacias sedimentares da região.

Produção do Amazonas

No Amazonas, atualmente, a Petrobras explora petróleo e gás no município de Coari e, segundo a ANP, a produção de petróleo do Estado, nos dois primeiros meses deste ano totalizou pouco mais de 1,6 milhão de barris. Enquanto no primeiro bimestre do ano anterior esse número foi superior a 1,7 milhão. A variação negativa foi de 6,2%. Em 2014 a concessionária comercializou 10,2 milhões de barris de petróleo e em 2013, 11,2 milhões.

Entre os meses de janeiro e fevereiro deste ano, o Amazonas gerou um milhão de metros cúbicos de LGN (Líquido de Gás Natural). No mesmo período de 2014 a produção foi de 951,7 mil metros cúbicos. Houve um crescimento de 15,1%.

 Fonte: portalamazonia.com/noticias

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*