Movimento Onda Limpa – RN

INTRODUÇÃO

 O litoral do estado do Rio Grande do Norte é conhecido como um dos mais lindos do Brasil, exatamente por apresentar entre outras coisas, águas quentes e sol o ano inteiro, que somados a uma linha de costa muito diversificada, criam o cenário perfeito em termos de paisagem e diversidade biológica. Contudo, quando se observa com um pouco mais de detalhes toda esta maravilha, nota-se que uma boa parte deste atrativo natural anda mal tratado pela população seja ela local ou pelo próprio turista, que ao usufruir deste patrimônio não respeitam o singelo e demorado trabalho realizado pela mãe natureza.

Natal, segundo pesquisas, é a capital que apresenta melhor qualidade de vida, principalmente devido aos atributos naturais. Esta fama tem atraído muitos turistas, e muitos deles se encantam com as belezas do local e decidem viver em Natal como uma opção de vida. O crescimento repentino e o inchaço populacional provocam uma pressão sobre todos os elementos que compõem a cidade. População urbana e periférica, infra-estrutura e recursos naturais, são os primeiros a sentirem as conseqüências geradas pelo desenvolvimento desordenado de Natal.

Como toda cidade que tem o turismo como uma das principais fontes de renda, Natal passa, a cada ano, por outro fenômeno; o aumento populacional sazonal. Este aumento populacional acontece durante o verão do hemisfério sul (dezembro, janeiro e fevereiro) e bem como o verão do hemisfério norte (principalmente agosto e setembro). Este fenômeno sazonal, somado ao crescimento constante da cidade exerce grande pressão sobre o maior dos atrativos de Natal: as praias urbanas e periféricas.

 OBJETIVO

 A partir da constatação do nível de degradação das praias do estado, principalmente aquelas mais próximas á cidade de Natal, um grupo de admiradores das nossas praias resolveu se reunir para chamar atenção da população e das autoridades competentes, para um fato que deve ser tratado de maneira séria e imediata, sob pena de num futuro próximo, nem o cidadão Potiguar e nem o turista, uma das maiores fontes de receita do estado, terem mais condições de se banhar ou praticar qualquer tipo de esporte aquático em nossas praias.

Para tanto, este grupo formado por estudantes, professores, comerciantes, empresários, profissionais liberais, e muitos surfistas que freqüentam a maioria das praias do estado, tiveram a idéia de lançar o projeto “Onda Limpa”. Pegando carona na idéia do Clean-up Daydia mundial de limpeza de praias, que vem se tornando um dos eventos ambientalistas internacionais mais conhecidos. Tal evento tem contado com a participação efetiva de milhões de pessoas, em cerca 120 países, que unem forças e “empunham” a bandeira da limpeza para fazer uma real diferença em nosso meio ambiente. É claro que limpar parte da sujeira que produzimos ao descartarmos de forma inadequada os resíduos sólidos no ambiente litorâneo, não é a solução, porém eventos como estes servem para despertar o inconsciente coletivo, e o instinto de sobrevivência do ser humano.

O evento Clean up day, possui um programa sem fins lucrativos, que promove atividades ambientalistas todo ano, no terceiro final de semana de setembro. A cada ano vem ajudando a diminuir um dos maiores problemas ambientais da atualidade, representado pelas crescentes montanhas de resíduos produzidos pelas sociedades modernas de consumo.

O evento “Onda Limpa”, no meio do verão de 2007 na praia da Tabatinga. O dia e local foram escolhidos porque o grupo organizador do evento percebeu que todo verão quando a população de banhistas aumenta consideravelmente, as praias do estado, ficam cada vez mais sujas e degradadas, logo o evento deveria ser realizado no verão para tentar minimizar o impacto desta pressão populacional sobre as praias.  A escolha da praia de Tabatinga se deve ao fato, que apesar de pouco freqüentada pela maioria dos banhistas que procuram as praias do litoral sul, esta praia encontra-se relativamente suja, principalmente nesta estação do ano, quando se observa uma grande quantidade de lixo arribado na areia desta praia.

Este evento tem o objetivo concreto de despertar na população seja ela residente ou flutuante, que a limpeza das praias não só competem aos órgãos públicos, mas também é extensivo aos seus freqüentadores, que através de boas práticas ambientais e consciência poderão fazer uma grande diferença no futuro.

Como objetivo de mais longo prazo é despertar a atenção para um outro problema  que é a questão da vegetação de restinga, isto porque, nos últimos anos a área de restinga na praia de Tabatinga tem sofrido uma verdadeira devastação, seja porque as pessoas passam sobre esta vegetação causando um estresse sobre a mesma, ou porque, simplesmente arrancam sem medir as conseqüências que isto poderá trazer para a própria praia, na medida que a cada ressaca o mar invade mais a areia erodindo parte do calçamento que já não existe mais.

Espera-se como resultado prático deste evento, que a população usuária de nossas praias e as próprias autoridades competentes, possam se sensibilizar e comecem de maneira progressiva a difundir uma cultura de ação voluntária de modo ajudar na manutenção da limpeza das praias, seja criando locais para que o lixos e dejetos possam ser colocados de maneira seletiva e ao mesmo tempo, criar as condições necessárias para que a população possa por livre iniciativa, contribuir para a melhoria das condições das nossas praias.